Seja otimista!

Como ser feliz mantendo o olhar frio e o sorriso escondido? Como ser feliz, e se revoltar e se queixar? É como sair às compras sem dinheiro ou ir pescar sem anzol. Reconheça ser preciso jogar para longe o que for tristeza, desamor, e o espírito de levar vantagem, e colocar no lugar deles o prazer de viver em paz. Para se ter a felicidade é importante deseja-la por inteiro, robusta e quente, sob forte esperança no amanhã, porque, se deseja-la fraca, ela por si mesma se inutiliza desde o principio. A mente não é feita somente para atrair dinheiro ou bens materiais. A mente também faz isso. Mas sua maior finalidade é a criação dos valores morais e da paz, de tal modo que chegam a se refletir na face e atrai simpatias e benefícios. Se você tem hábitos enraizados, se você tem comportamentos de longa data, pensamentos que se repetem e se sente insatisfeito(a)...disponha-se a mudar. Não fique repetindo o passado, parado no tempo, inerte. Faça alguma coisa, construa um mundo novo, limpo e arejado. Você tem capacidade para isso. Acredite em um futuro brilhante. Você pode ser feliz tanto quanto, ou o quanto mais quiser ser feliz. Faça um autoexame do que você é, do que você pensa, em como vem se tratando e em como trata as pessoas e o planeta. Medite sobre a sua realidade, sobre o que tem feito com seu tempo e de como tem se relacionado si mesmo(a) e com os outros. E a partir disto, vislumbre e desenhe um novo futuro. Se você der o máximo de si na edificação de um futuro melhor, com esperança, fé em si mesmo e fé em um Poder Superior já terá começado a mudar seu quadro atual e a começar a se sobrepor como criatura bem sucedida. Confia em seu deus interior. Jesus disse: “Vós sois deuses, e como deuses podem fazer o que eu faço e muito mais se tiverem, fé!” A melhor confiança, a melhor defesa é a fé em seu deus interior. Aceite as quedas e perdas da vida. Cair e perder faz parte de nossa caminhada. Mas quando cair ou perder levante-se e caminhe ainda que sentindo dores. Não existem méritos em ficar deitado para evitar-se cair. Mas levantar-se todas as vezes que se cai. Somente assim aprenderemos algo. Acredite também em seu pais. Grandes homens e mulheres sempre acreditaram em suas nações. Diante disto quando partiram para a pátria espiritual, deixaram com seus feitos e ideias o planeta um pouco melhor. Não se aceite atolado em falhas ou em “pecados". Deus que é fonte de tudo e de todos não enxerga nossos erros, mas a força que fazemos para conserta-los. Diante disto, acredite em Deus. Muitas doutrinas religiosas afirmam que o Pai Celestial, é o Deus do impossível. Diante disto quando cair ou desiludir-se com as pessoas, segure nas mãos Dele. Pois se Deus realiza coisas impossíveis, com certeza ele é capaz de fazer o impossível acontecer em sua vida. Acenda o fogo do otimismo. Explore o seu poder de luta e terá um grande futuro. Lembre-se: O fogo de um palito ou um incêndio em uma floresta começa sempre com uma pequena faísca.

Manoel João

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

HISTÓRIA DOS VIAJANTES Por Dr Edward Bach - 1934















Era uma vez, é sempre era uma vez, dezesseis viajantes que saíram para uma excursão através de uma floresta. A princípio, todos iam bem; porém, depois de terem caminhado durante algum tempo, um dos integrantes do grupo, de nome AGRIMONY, começou a se preocupar quanto a estarem eles no caminho certo ou não. Depois, já de tarde, tendo mergulhado ainda mais na escuridão, MIMULUS começou a ter medo de que tivessem perdido a trilha. Quando o sol se pôs e as sombras aumentaram e os ruídos noturnos da floresta começavam a fazer-se ouvir, ROCK ROSE ficou apavorado e em estado de pânico. No meio da noite, quando tudo eram trevas, GORSE perdeu toda esperança e disse:
"- Não seguirei além daqui; continuem vocês; ficarei aqui do modo como estou até que a morte alivie meus sofrimentos."

OAK, por outro lado, embora sentindo que todos estavam perdidos e que nunca veriam novamente a luz do sol, disse: "- Continuarei lutando até o fim", e o fez de modo corajoso.
SCLERANTHUS tinha alguma esperança, mas às vezes sofria de incerteza e de indecisão, esperando primeiro seguir uma trilha e quase ao mesmo tempo, outra. CLEMATIS continuava a caminhar com dificuldade, quieta e pacientemente, mas - oh! - bem pouco preocupado no que diz respeito a dar ou não ali o último suspiro ou sair da floresta.
GENTIAN algumas vezes animava bastante o grupo, porém outras vezes caía num estado de desânimo e depressão. Outros excursionistas nunca tinham medo, a não ser de que seus companheiros desistissem da excursão e, a seu modo, queriam muito ajudá-los.
HEATHER tinha muita certeza de conhecer o caminho e queria que todos os companheiros a seguissem. CHICORY não se preocupava com o fim da excursão, porém demonstrava muita preocupação no que diz respeito a estarem ou não seus companheiros com dor nos pés, cansados ou com suprimentos suficientes para se alimentar. CERATO não tinha confiança em suas opiniões e queria tentar todos os caminhos para se certificar de que o grupo não estava errado, e o pequeno e dócil CENTAURY queria tanto tornar mais leve o fardo dos outros que estava pronto para carregar os apetrechos de todos. Infelizmente, para o pequeno CENTAURY, ele carregava o fardo dos mais aptos a fazê-lo pois eles eram considerados os mais fortes.
ROCK WATER, todo ansioso para ajudar, desapontava um pouco o grupo porque criticava o que eles estavam fazendo de errado e, no entanto, ROCK WATER sabia o caminho. VERVAIN também devia conhecer suficientemente o caminho mas, embora estivesse um pouco confuso, fazia um discurso detalhado sobre qual seria a única trilha que os levaria para fora da floresta. IMPATIENS, outrossim, conhecia bem o caminho de casa, tão bem que estava impaciente com os que eram menos rápidos que ele. WATER VIOLET percorrera anteriormente aquele caminho e sabia a trilha certa, no entanto, era um pouco orgulhoso e arrogante, o que os outros não entendiam. WATER VIOLET julgava-os um tanto inferiores.
Ao cabo, todos foram ao fim da floresta. Agora, eles atuam como guias para os outros excursionistas que não fizeram a excursão antes e, devido ao fato de saberem que há um caminho que leva até o final e devido ao fato de saberem que a escuridão da floresta não é outra coisa do que as sombras da noite, eles andam como "cavalheiros indômitos", e cada um dos dezesseis excursionistas ensina, a seu próprio modo, a lição, dando o exemplo:
AGRIMONY dá largas passadas sem nenhuma preocupação e faz troça de tudo. MIMULUS não sabe o que é medo; ROCK ROSE, nos momentos mais difíceis, é a própria imagem da calma, da coragem serena; GORSE, na noite mais negra, fala-lhes acerca das etapas que serão vencidas quando o sol surgir pela manhã.
OAK mantém-se imperturbável durante o mais forte vendaval; SCLERANTHUS caminha com inabalável convicção; os olhos de CLEMATIS estão postos com alegria no fim da viagem; nenhuma dificuldade, nenhum contratempo podem desanimar GENTIAN.
HEATHER aprendeu que cada viajante deve seguir o próprio caminho e, silenciosamente, vai à frente, a passadas largas para mostrar que isso pode ser feito. CHICORY sempre esperando ajudar, porém apenas quando solicitado, continua tranquilo. CERATO conhece muito bem as pequenas trilhas que não levam a parte alguma e CENTAURY sempre busca as pessoas que são mais fracas, que julgam pesado o fardo que carregam. ROCK WATER não sabe mais incriminar ninguém, passa o tempo todo encorajando os demais. VERVAIN não prega mais coisa alguma porém, silenciosamente, aponta o caminho. IMPATIENS não sabe mais o que é pressa, mas se atrasa entre os retardatários para manter o passo. WATER VIOLET, mais como um anjo do que como um homem, passa em meio ao grupo como um sopro de vento ou como um raio glorioso de sol, abençoando a todos."

2 comentários:

  1. Gostei!
    Interessante o modo que usou para descrever as situações.
    bjs
    Ritinha

    ResponderExcluir